Sinopse: Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo sim para as oportunidades que surgiam. Os sins iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no Ano do Sim transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida.
Autor(a): Shonda Rhimes | Editora: Best Seller | Compre aqui: Submarino, Saraiva,

Shonda Rhimers é a grande responsável pela existência de algumas das minhas séries preferidas, uma mulher criativa, mas com o dom de 'matar' meus personagens preferidos da forma mais imprevisível possível. 

Quando solicitei este livro para resenha fiquei um pouco insegura, pois apesar de adorar o trabalho da Shonda eu temia que o livro caminhasse para um lado de autoajuda cansativo, mas confesso que fui positivamente surpreendida.

Logo no início a autora já mostra seu potencial como uma escritora criativa, divertida, interessante e muito bem humorada.
Escrever sobre mim é como se eu tivesse acabado de decidir subir em uma mesa de um restaurante muito chique, levantar o vestido e mostrar para todos que não estou usando calcinha. Quer dizer, parece chocante.
Mas chega de tietar a autora, preciso compartilhar com vocês esta experiência super agradável de leitura.

Após ouvir sua irmã murmurar que ela nunca diz 'sim', Shonda começou a repensar em algumas escolhas que teve, sobre alguns momentos em que abriu mão de algo por não ter coragem de encarar o desafio ou lidar com sua timidez diante das câmeras, ou até mesmo de não se permitir dizer 'sim' para coisas que lhe fariam bem.
A promessa do Ano do Sim era um compromisso. Um contrato entre mim e minha maior adversária e juíza - eu mesma.
No decorrer das páginas a autora vai se mostrando mais solta, transmitindo ao leitor uma compreensão real dos seus sentimentos, de sua história, etc. Em nenhum momento cheguei a cogitar que ela estivesse fantasiando ou escondendo detalhes sobre as histórias que contava.

Com uma narrativa leve, descontraída e repleta de trechos divertidos, Shonda construiu um livro que não possui uma história linear com diversos personagens complexos, mas conseguiu me envolver a cada novo desafio enfrentado, a cada 'sim' que lhe custou muita coragem para ser dito e a cada nova experiência que ela passou a se permitir viver.
 



Inspirado em uma famosa franquia de cinema, Pânico, esta série também tem seu vilão mascarado que comete diversos assassinatos sem que sua identidade seja revelada. Como em todos os filmes de terror e suspense existe uma motivação para as mortes e em SCREAM não é diferente.

Com personagens interessantes e que possuem um bom envolvimento, a trama desta nova séria da Netflix não surpreende, porém em sua primeira temporada consegue convencer o espectador a ir em busca da solução para os mistérios. 

Em sua primeira temporada a série se mostrou mais envolvente, ágil e de tirar o fôlego. Por mais que o objetivo não fosse causar sustos, a mesma conseguiu surpreender e me pegar desprevenida. Não gritei de medo, mas soltei uns palavrões conforme fui descobrindo algumas coisas, o que compensou totalmente a ausência de sustos. 

Infelizmente a segunda temporada se mostrou menos envolvente e misteriosa, por mais que o serial killer se escondesse, já era possível imaginar quem ele era. Nesta sequência pouco se vê o assassino agindo e em alguns momentos confesso que fiquei entediada com o desenrolar dos fatos que pareciam mais dramáticos do que propriamente um suspense. 
Os personagens sofrem, choram, mas não demonstram medo como na primeira temporada. No lugar daqueles jovens eu já teria fugido para bem longe, ao invés de ficar indo em busca da pessoa que queria me matar. Mas este é mais um item que está presente em basicamente todos longas e séries de suspense, os mocinhos não sabem fugir.
Espero que em uma próxima temporada a série recupere a capacidade de surpreender que me conquistou no início desta história.



Sinopse: Depois de cinco anos trabalhando para o sr. Ryan, a paciência de Meghan com as manias e a grosseria do chefe bilionário já está no fim. Não importa que ele seja bonito e sexy...Para suportar a pressão, ela busca refúgio na leitura de uma série de livros eróticos escritos por Natalie McBride. Meg se torna fã, chegando a trocar correspondência com a autora.

Autor(a): Melanie Marchande | Editora: Giz


Confesso que livros com uma pegada mais Hot não estão no meu topo de leitura, mas venho tentando desconstruir a minha cara feia a cada nova cena de sexo exagerado, e nada mais justo do que ler algo que possui a premissa de carregar uma história e não apenas cenas quentes.


Ao iniciar a leitura de Sua secretária percebi que este não era apenas mais um livro dentre tantos outros, pois a protagonista não se mostrava como aquela menina bobinha, inocente e cheia de frescuras. Meghan é uma mulher adulta, que suporta um chefe irritante em um emprego mais ou menos. Enquanto isso, Ryan, o moço bonitão desta história não se apresenta como um mimadinho cheio de si.

Admito que nos primeiros capítulos me diverti bastante com estes dois, mesmo que tenha ficado com cara feia nos primeiros momentos de pegação total, alguns destes eu até cheguei a pensar que não precisavam ter sido inclusos na história para assim dar mais espaço para a trama que se desenrola por trás de tudo.

Alguns momentos eu senti que a protagonista estava começando a ter traços de ingenuidade, principalmente quando ela começou a se corresponder com a autora de uma série de livros. Para mim pelo menos ficou meio óbvio quem era a tal autora e em quem os personagens haviam sido inspirados, creio que por isso comecei a sentir que Meghan estava perdendo um pouco a sua essência.

No decorrer da leitura, todo esse meu encantamento começou a se perder um pouco. A autora iniciou muito bem, mostrando que o livro dotado de uma narrativa ágil tinha tudo para me envolver e me impressionar, mas aos poucos foi se mostrando mais raso e mais quente. 

Apesar de ter concluído a leitura com uma sensação de que esperava mais do livro, admito que gostei dos personagens e de seu romance, que ainda bem não se mostrou abusivo como os encontrados em tantos outros livros hots.

Se você gosta de romance com uma pitada de momentos quentes, este livro com certeza irá atender às suas expectativas.
 



Autor(a): Sergio Rossoni | Editora: Chiado

Em um mundo onde os animais têm uma sociedade tão bem organizada quanto a nossa, um crime vem abalar a paz da província de Siamesa, fazendo a mobilização para descobrir quem teria matado Karpof Mundongovich. Essa morte deixou Gallileu Ponterroaux e Birman Flint intrigados.

O que teria o Czar Gaturnino Ronromanovich e a medalha imperial a ver com o frio assassinato de Karpof? Porque deixar marcada aquela página que parecia conter um enigma ligando ao Karpof ao Czar? Porque deixar um desenho com seu próprio sangue? Foram essas as questões incumbidas a Flint e Paparov de descobrir as respostas, porém muita gente não quer que eles cheguem ao final do enigma e eles correm perigo de vida por buscá-las.

Um livro bom, bem escrito e com alguns toques da cultura Russa, que nos mostra o quanto uma sociedade animal com gatos, ratos, galos e lobos pode se tornar um excelente livro, com tramas tão bem elaboradas que me deixaram sem saber o que realmente aconteceria até o fim.

Para quem gosta de uma aventura com um toque de mistério a ser resolvido e até um pouco de suspense, recomendo esse livro.

Nota ao autor
Bom ao autor peço encarecidamente que me desculpe, tive alguns problemas pessoais em relação a minha faculdade e fiquei sem tempo algum, como queria dar a atenção devida que sua obra merecia resolvi que o faria nas férias, desculpe de verdade a demora.




Desta vez a resenha vai ser um pouco diferente, sem sinopse. O motivo é bem simples, se eu a tivesse lido antes de conhecer melhor a história do livro, possivelmente não teria me empolgado tanto com as descobertas. Às vezes as sinopses falam demais, então a deixaremos de lado por enquanto.

Autor(a): Chevy Stevens | Editora: Arqueiro | Compre aqui: Americanas, Submarino

Sara foi adotada quando pequena e nunca se sentiu parte da família, sempre percebeu que seu pai a tratava diferente e tinha a sensação de que ele não queria tê-la adotado.

Já adulta, com uma filha pequena e prestes a se casar, a protagonista decide que precisa conhecer sua origem para compreender um pouco sobre si e sobre sua história. Toda a descoberta é contada por ela, a partir da sessões de terapia que frequenta, o que permite que o leitor se conecte com os sentimentos e ponto de vista de Sara.

Facilmente ela consegue descobrir quem é sua mãe biológica, mas não se contenta em apenas saber, ela precisa conhecer e é a partir daí que a vida de Sara muda totalmente. Algumas coisas não devem ser revividas, relembradas ou até mesmo investigadas, às vezes o passado precisa ficar adormecido.

Não vou entrar em detalhes sobre os motivos que levaram a mãe biológica da protagonista de colocá-la para adoção, pois mesmo que isto seja dito logo nos primeiros capítulos acredito que a descoberta através das páginas é totalmente válida, afinal, é este primeiro mistério que conduzirá as diversas reviravoltas desta história.

Recheado de suspense, a narrativa surpreende constantemente. Mesmo após descobrir facilmente o primeiro grande mistério, a história não deixa de prender a atenção do leitor e envolvê-lo em uma nova tensão. A cada nova página uma angustia nova, um receio novo, uma necessidade de descobrir o que irá acontecer. 

Mas não se engane, a origem de Sara pode até ser revelada logo no início do livro, mas permita-se conhecer o desenrolar desta história que caminha para um final incrível.





Sinopse: Há um ano, conheci o amor da minha vida. Para duas pessoas que não acreditavam em amor à primeira vista, até que Lilah e eu chegamos bem perto de dizer que isso aconteceu conosco. Eu tinha um bom emprego em uma agência de publicidade e não fazia outra coisa além de trabalhar. Era incapaz de tomar decisões sobre meu futuro e minha casa inacabada e não sabia aproveitar a vida. Até conhecer Lilah.  Lilah MacDonald era uma advogada ambientalista linda e decidida – e, para minha surpresa, detestava usar sapatos. Era uma pessoa tão maravilhosa que é até difícil descrevê-la. Nosso relacionamento não poderia ser mais improvável, mas me transformou profundamente. Comecei a enxergar as coisas de outra forma e a redescobrir antigas paixões. Lilah me ensinou a viver outra vez e a aproveitar ao máximo tudo o que a vida tem a oferecer. Ela me proporcionou momentos incríveis, mas também manteve em segredo algo que partiu meu coração. Ainda assim, se há uma coisa que aprendi com Lilah é que o amor pode curar qualquer ferida.
Meu nome é Callum Roberts e esta é a nossa história.
Autor(a): Kelly Rimmer | Editora: Arqueiro | Compre aqui: Submarino, Saraiva

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que criei enormes expectativas em relação a esta história, graças a uma pequena frase na capa:

“Se você é fã de JoJo Moyes, David Nicholls e Nicholas Sparks, então irá amar Eu sem você.”– Goodreads

Não nego que gosto dos livros do Nicholas Sparks e que Jojo Moyes ganhou um espaço reservado no meu coração, e imaginar a possibilidade de ter encontrado um livro tão bom quanto os destes autores me deixou motivada e ansiosa.

Neste livro o leitor é apresentado à Lilah, uma advogada ambientalista que defende seus ideais com garra, e Callum, um homem mais tranquilo, desapegado e que pouco se importa com o meio ambiente. Aparentemente pessoas muito diferentes, com visões opostas sobre diversos assuntos, mas que o destino aproximou por causa de um par de pés descalços e sujos, neste caso, os pés de Lilah.

A história é contada a partir da visão dos protagonista de forma intercalada. Ora o leitor irá se deparar com narrativa de Cal, ora verá as anotações do diário de Lilah, o que proporciona uma sensação de leveza durante a leitura, já que não há uma sobrecarga de sentimentos de um único personagem.

O relacionamento dos dois me pareceu um pouco rápido demais, superficial às vezes e nem sempre convincente. A forma como eles se conheceram foi tão repentina que logo levou a um primeiro encontro atrapalhado, que deu sequência a outros não tão normais, mas que se mostraram um pouco rasos e sem grandes sentimentos arrebatadores.

Mas como nem tudo é romance nesta vida, há um drama nesta história que abalaria qualquer pessoa, pois não é apenas um 'mimimi' de alguma personagem mal resolvida, é algo sério, complexo e que pode não ter solução. Apesar disso eu não me emocionei, não ao ponto de chorar, talvez de ficar com pena, mas nada muito forte.

Em suma, posso dizer que não me envolvi com esta história da forma como gostaria. Apesar da narrativa interessante, bem desenvolvida e sem exageros, o romance não me prendeu e por consequência o drama por trás dele não impactou.

Isso quer dizer que o livro é ruim? Não, nada disso. Apenas não crie expectativas, como eu criei, com o que você lê na capa. Eu esperava algo mais sofrido ao estilo Nicholas Sparks, algo mais doce e envolvente com uma cara de Jojo Moyes, mas encontrei algo bonito, porém simples!
 



Já faz um tempo que vejo vídeos de pessoas que viajaram pro Japão e provaram doces bonitinhos e/ou um pouco mais estranhos. Sempre quis experimentar, mas a viagem para o Japão não cabe no meu orçamento no momento.

Então eu conheci a Japan Candy Box, uma caixinha recheada de produtos gostosos, outros um pouco diferentes e que meu paladar precisará se adaptar.

A minha caixa chegou super rápida, principalmente se eu comparar com diversas outras compras internacionais que fiz. Em menos de 15 dias a minha tão esperada Japan Candy Box já estava em minhas mãos. Então não precisa se preocupar, ela chega sim e ao contrário de algumas coisas do Aliexpress, ela chega inteira e bem rápido.

Todos os produtos que recebi estão na imagem acima, mas vou mostrar detalhes de alguns dos que eu mais gostei e me surpreenderam.

Confira um pouco do que veio nesta edição incrível:



Estes biscoitinhos além de super fofos com formato de animais, também são muito gostosos.Lembrei muito da minha infância e devorei em questão de minutos. 


Estes palitinhos com cobertura e recheio de morango são uma delícia, com um gostinho que lembra iogurte e que não é enjoativo.
Sem dúvida este foi o doce que eu mais gostei na caixa e se alguém quiser pode me enviar mais alguns. 


Estas gomas de mascar foram uma grande surpresa e se eu tivesse prestado mais atenção na embalagem não teria sofrido tanto.Não tive coragem de comer os outros dois, então meu pai e meu irmão comeram. Eles AMARAM, pois realmente tem o gosto forte do limão. 


Ainda não consegui chegar a uma conclusão sobre este item da caixa.Tem textura de salgadinho, é de milho, levemente salgado, mas tem um toque adocicado que me deixou confusa, não sei se chamo de doce ou de salgado! hehehe
No início o sabor é estranho, mas depois vicia!
Este é um doce mais comum ao meu paladar. Balas que se parecem com aquelas de gelatina, um pouco mais duras, mas muito saborosas.Estas possuem um leve sabor de melancia, delicadas e nada enjoativas.



Engana-se quem pensa que só tem doce nesta caixa. Este é um exemplo de algo salgado e super gostoso.
Na imagem não dá para ver direito, mas os salgadinhos tem formatos fofos. Sobre o gosto, é um misto de batata, tomate e cenoura.




AMEI a experiência e se alguém quiser me dar outras caixinhas eu aceito!

Agora que você já conheceu um pouco sobre o que veio na minha caixa, que tal ganhar uma também? Preencha o formulário abaixo e aguarde o resultado.
A caixa será enviada pela própria Japan Candy Box.

- Atualizado em 27/07/2016
ATENÇÃO
Não é necessário preencher todo o formulário, com uma inscrição você já estará concorrendo ao prêmio, mas não esqueça que quanto mais opções você seguir, mais chances terá!

a Rafflecopter giveaway


Boa sorte!



Sinopse: Monique não tinha do que reclamar, sua vida era exatamente aquilo que sempre sonhou. Aos 23 anos, prestes a concluir a tão sonhada faculdade, seu namorado era um príncipe, tinha amigos incríveis e era dona do seu destino. Até que viu sua vida nas mãos de um estranho.
Rafael era um cara normal. com sua vida planejada e previsível. Batalhador, pediatra e sonhador, aos 28 anos, acreditava ter seu destino traçado. Mas quem era ele para subestimar o quanto o mundo pode girar?
Eles passavam naquele momento, naquele lugar. Um instante é o suficiente para que tudo possa mudar.
Autor(a): L. M. Gomes | Editora: Qualis | Compre aqui: Loja da editora

De um lado temos uma estudante universitária, do outro um médico. Que pela força do acaso estão no lugar errado, na hora errada, ou seria no lugar certo? (Deixo para vocês tirarem suas próprias conclusões). 

A autora conta a história de uma maneira como se uma amiga estivesse nos contando a sua própria história. Não há um grande clímax, ou grandes reviravoltas. A Monique e o Rafael decidem que vão ficar juntos e não deixam nada atrapalhar isso. Apesar de previsível é a primeira vez que leio um livro onde os mocinhos não deixam que ninguém se intrometa no romance deles.

O livro é narrado por ambos os protagonistas, temos uma visão geral da história. O que pensam, como se sentem. A história por trás da história. Sempre há uma né?

Os personagens são maduros, não é qualquer mentira ou mal entendido que os afastam. Sabem lidar com os acontecimentos da  vida, apesar de linear Em um instante... tudo pode mudar tem seus atrativos. Entre eles uma ex-noiva tranquila, uma ex-cunhada doente, um irmão mulherengo e um ex-namorado psicopata, fala sério, algo tinha que acontecer no livro né?


Ahhh.... o final... sim, esse final... Posso dizer que foi uma surpresa, não capaz de mudar os rumos da história, mas não foi esperado! Espero que curtam esse livro, afinal em um instante... tudo pode mudar!

Indicação: Tá de ressaca literária? Este livro é uma opção para relaxar e tentar curar aqueles pensamentos infinitos depois de uma leitura pesada.


 




Sinopse: O que fazer quando seus pesadelos se tornam realidade? Quando tudo o que você conhece e em que acredita muda de uma hora para outra? Para Sam, essas não são apenas perguntas. É sua nova vida. Sequestrado na escola, o garoto se vê envolvido em uma trama extraordinária: ele é um dos Últimos 13, um grupo de pessoas especiais que têm o poder de mudar a realidade através de seus sonhos. Agora, ele e mais dois jovens, Alex e Eva, estão sendo caçados por poderosas sociedades secretas que querem dominar o mundo! E não se pode confiar em ninguém, pois mesmo aqueles que se dizem aliados aparentam esconder alguma coisa.
Autor(a): James Phelan | Editora: Fundamento | Compre aqui: Loja da editora

Sam, um garoto normal como qualquer outro, que tem sonhos perturbadores após ter passado por uma experiência traumática poderia ser apenas mais um em meio a multidão, mas não é.

Algo inacreditável rodeia a história de Sam, algo que possivelmente você leitor também iria se assustar, afinal, não é sempre que se descobre que os sonhos e pesadelos podem ser presságios, que outros jovens também possuem este dom e que são perseguidos por isso.

Através de uma narrativa ágil, instigante e sem rodeios, o autor consegue envolver o leitor nesta trama tão bem estruturada, pois mesmo com poucas páginas a história transcorre de maneira fluida sem confusões. Apesar dos diversos acontecimentos em uma sequência de tirar o fôlego, o leitor não precisará se preocupar, pois tudo fará sentido e se encaixará.

Mesmo tendo gostado da velocidade com que a história acontece e mesmo tendo me envolvido com a trama tão bem escrita, toda esta agilidade me distanciou um pouco dos personagens e suas personalidades. Normalmente eu gosto de me sentir mais próxima deles, conhecendo suas opiniões e compreendendo suas escolhas, mas senti que não consegui me aproximar tanto quanto gostaria. Este detalhe não atrapalhou a leitura e nem me fez pensar em deixar o livro de lado, afinal eu necessitava conhecer o desenrolar desta história surpreendente.

Não vou falar sobre o final, pois vou acabar soltando alguns spoilers e esta não é a intenção desta resenha. Mas posso dizer que não decepciona de nenhuma forma.

Só posso então dizer que com certeza eu indico este livro a todos que buscam se aventurar em uma ficção bem escrita, que não se mostra cansativa e que consegue se desenvolver bem mesmo em poucas páginas.

Ah, este é o primeiro livro de uma série de 13 livros. Parece muito, eu sei, mas acredite, a leitura é tão ágil que o leitor nem irá se sentir cansado ou entendiado.

 



Sinopse: Liam O Connor, Maddy Carter e Sal Vikram são adolescentes de períodos diferentes da História, com muito pouco em comum. No entanto, existe um forte laço que os une: todos deveriam estar mortos.
Os três estavam destinados a morrer em grandes catástrofes. Mas, nos últimos momentos de vida, foram abordados por um estranho que lhes ofereceu uma opção. Para escapar de um destino terrível, eles deveriam juntar-se à misteriosa Agência e se tornar Time Riders viajantes no tempo.
Autor(a): Alex Scarrow | Editora: Fundamento | Compre aqui: Fundamento, Saraiva, Cultura

- Vocês são um tipo de polícia... mais ou menos isso - Fostes respondeu. - Estão aqui para policiar o tempo. Para impedir que invasores do futuro modifiquem as coisas do passado. A Agência é altamente secreta. Ela não deveria existir, por isso não temos propriamente um empreso. Mas, dentro da Agência, nós nos chamamos de Time Riders.

Numa realidade onde viagens no tempo são comuns e que qualquer alteração no passado impacta no futuro, seja de forma leve ou devastadora, o papel principal desta equipe é garantir que as alterações causadas pelos viajantes sejam reparadas ou impedidas.

Logo na primeira "aula" o leitor já compreenderá melhor o papel de cada membro desta equipe e o motivo por terem sido escolhidos, já que suas características particulares possibilitam a execução das tarefas e missões. 

Com uma narrativa ágil, envolvente e de tirar o fôlego, o autor apresenta não somente seus personagens como também situa o leitor perfeitamente no tempo em que cada viagem ocorre, através de uma ambientação descrita na medida certa e da utilização de personagens históricos conhecidos, afinal, quem nunca ouviu falar em Hitler?

A primeira missão destes três jovens é uma incógnita, só se sabe que algo foi modificado, mas não se sabe o que foi feito e nem quem fez tal alteração. A busca pelas respostas se mostra empolgante e por vezes angustiante, já que aos poucos o leitor vai descobrindo o que realmente aconteceu, mas não tem ideia de como corrigir.

Sem dúvida alguma este livro me prendeu a cada nova página, me envolveu com seus personagens bem desenvolvidos, com a trama que se encaixa perfeitamente e com os fatos históricos reais que me deixaram ainda mais interessada.

Se você gosta de livros repletos de aventura, mas com um pequeno toque de realidade, com certeza irá adorar Time Riders. Caso a realidade em livros não seja de sua preferência, não se abale, pois o autor construiu uma ficção muito boa que com certeza vale a pena ser lida.